loading...

Quem somos

 

Somos a Cooperativa de Crédito dos Integrantes dos Órgãos e Entidades do Poder Judiciário, das Funções Essenciais à Justiça, do Poder Executivo e do Poder Legislativo, todos da União, bem como da Administração Pública Federal direta, indireta e fundacional localizadas no Estado de Minas Gerais.

 

Atendemos um seleto grupo de pessoas, oferecendo os mesmo produtos e serviços de um banco, mas com grandes diferenciais: atendimento personalizado e taxas competitivas. 

 

No Sicoob Coopjus, você é mais que um cooperado: você é sócio. Por isso, quanto mais se relaciona com a Cooperativa, mais impulsiona um negócio que é seu. E o melhor: ao invés de pagar os altos encargos cobrados pelos bancos, você participa dos resultadosfinanceiros.

 

Por sermos uma instituição financeira sem fins lucrativos e alinhada à filosofia cooperativista, reinvestimos nossos recursos junto aos cooperados, contribuindo assim para o seu desenvolvimento econômico-social.

 

Missão, Visão e Valores

Missão

Gerar soluções financeiras adequadas e sustentáveis, por meio do cooperativismo, aos associados e às suas comunidades.

 

Visão

Ser a principal instituição financeira propulsora do desenvolvimento econômico e social dos associados.

 

Valores

Transparência

Comprometimento

Respeito

Ética

Solidariedade

Responsabilidade 

Preservação da natureza cooperativa do negócio

 

Negócio

Serviços e soluções financeiras.

Nossa História

Em 28 de maio de 1988, 29 servidores do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG) se reuniram para dar início a um sonho ousado e inovador: criar a primeira Cooperativa de Crédito dos servidores do TRT do Estado, proporcionando soluções financeiras para seus associados por meio da colaboração mútua e da participação coletiva. 

 

Com o apoio do Tribunal e com cerca de 290 cruzados em caixa, o negócio começou.

 

A economia

 

Durante toda a década de 80, o Brasil passou por diversas oscilações monetárias e foi marcado por grandes impactos político-econômicos. O processo inflacionário crescia consideravelmente devido às pressões geradas pelo déficit público e tornou-se ainda mais acentuado diante das mudanças políticas. Com o fim da ditadura, as novas eleições presidenciais e a morte de Tancredo Neves, recém-eleito, antes de assumir o cargo, o período era conturbado e repleto de incertezas.

 

O mercado ia mal, os alimentos faltavam nas prateleiras, os preços estavam congelados e a inflação era altíssima, causando um enorme descontentamento na população.  Foi assim que, no ano de 1986, o Brasil deu início a uma série de tentativas e planos de estabilização econômica, inclusive, com a alteração da moeda e implantação do cruzado (Cz$). Todas as tentativas fracassaram, e o receio de uma recessão maior agravava ainda mais a situação.

 

Os servidores endividados

 

Foi nesse cenário de incertezas que os servidores do TRT da 3ª Região se encontravam em meados de 1986. Com a crise no País e a grande necessidade de empréstimo fácil e rápido, surgiu no Tribunal uma grande quantidade de agiotas, oferecendo crédito em dinheiro com recursos próprios. No entanto, apesar do crédito fácil, os juros cobrados eram extorsivos e abusivos.

 

Observando que muitos servidores enfrentavam problemas financeiros por estarem envolvidos em dívidas com agiotas, afetando seu ganho mensal, frequência e produtividade no Tribunal, o Sr. Cassius Vinícius Bahia de Magalhães Drummond, na época Diretor Geral do TRT da 3ª região, incentivou a elaboração do projeto para a criação de uma cooperativa de crédito, com o objetivo de proporcionar crédito e moeda para seus associados, por meio da mutualidade e da economia sistemática. A ideia era manter um sistema de ajuda financeira, estruturado sobre os princípios da colaboração mútua e da participação coletiva, capaz de ajudar os servidores a livrarem-se dos agiotas.

 

Assim, incumbiu o então servidor, Erdman Ferreira da Cunha, a reunir pessoas que apoiassem a causa. Foi formado um grupo inicial para visitar outras cooperativas existentes e buscar, junto ao Banco Central do Brasil e à Federação de Cooperativas de Crédito Mútuo do Estado de Minas Gerais (Femicoop), quais eram os trâmites legais e o que era necessário ser providenciado para a criação de uma cooperativa.

 

Uma grande ideia que deu certo

 

Vinte e nove servidores se interessaram pelo projeto e assumiram o compromisso de fundar uma cooperativa que atendesse aos servidores do tribunal. Em 28 de maio de 1988, foi realizada a Assembleia de Constituição da Cooperativa. Na ocasião, cada sócio-fundador integralizou o valor de Cz$ 10,00 (dez cruzados), formando o capital inicial de Cz$ 290 (duzentos e noventa cruzados).

 

Nessa Assembleia, foram eleitos os Conselhos Administrativo e Fiscal, que eram norteados pelo Estatuto Social. Nasceu, assim, a CoopTRT. Instalada em uma sala cedida pelo tribunal no 7º andar do prédio da Rua Curitiba, nº 835. A CoopTRT – a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo do Pessoal Integrante do TRT da 3ª Região - foi criada para atender todos os que trabalhavam no órgão, inclusive os que ficavam no interior.

 

A Cooperativa

 

Com o objetivo de satisfazer necessidades e objetivos comuns por meio da prestação de serviços financeiros de natureza econômica, social e educativa, a CoopTRT cresceu.

 

A partir de 2006, além dos servidores do TRT, a Cooperativa passou a atender, também, aos servidores de outros órgãos. Hoje, 30 anos após sua fundação, ampliou sua gama de produtos e serviços e alterou seu nome para Sicoob Coopjus.

 

Atualmente a Cooperativa atende os Integrantes dos Órgãos e Entidades do Poder Judiciário, das Funções Essenciais à Justiça, do Poder Executivo e do Poder Legislativo, todos da União, bem como da Administração Pública Federal direta, indireta e fundacional localizadas no Estado de Minas Gerais.

  

Hoje, o Sicoob Coopjus é uma das maiores e mais sólidas instituições do segmento no país.

 

A você que faz parte dessa história de sucesso, o nosso muito obrigado!

Linha do Tempo

1988

Constituição da Cooperativa, inicialmente chamada de CoopTRT;

Instalação do Comitê de Crédito e do Comitê Educativo.

 

1990

Com a extinção do Banco Nacional de Crédito Cooperativo, a CoopTRT manteve o movimento financeiro na Caixa Econômica Federal.

 

1993

A Cooperativa comemora cinco anos e adquire sua primeira sede na rua São Paulo.

 

1994                

A Cooperativa apoia a fundação da Cecremge.

 

1995                

Aprovado o sistema de aplicação financeira RDC, a fim de possibilitar o atendimento ao crescente número de pedidos de investimentos.

 

1997                

Lançamento da primeira edição do "Jornal da CoopTRT";

A Cooperativa apoia a criação do Bancoob.

 

2000                

Aquisição da sede na Av. Augusto de Lima.

 

2001                

A Cooperativa promove concurso para escolha de nova logo e cria seu website;

Mudança da sede da Rua São Paulo para a Av. Augusto de Lima;

Implementação do Programa de Educação Financeira, em parceria com o TRT.

 

2002                

Criação de novas linhas de empréstimo para pagamento de IPTU, IPVA e material escolar;

Criação do acervo de livros com o tema Finanças Pessoais e Cooperativismo.

 

2005                

A Cooperativa aprova seus primeiros funcionários no exame da Anbid: certificação profissional CPA-10;

Reforma da sede da Cooperativa para otimizar o espaço e oferecer um atendimento mais personalizado aos associados;

Elaboração do projeto de expansão da Cooperativa;

Criação do Poup-Coop (Poupança Programada).

 

2006                

Expansão do quadro social da cooperativa: TRE, TRF, MPU e TCU;

O site da Cooperativa conquista o 1º lugar na categoria Melhor Site do VI Prêmio de Comunicação Cooperativista da Ocemg/Sescoop-MG.

 

2007                

Expansão do quadro social: Superior Tribunal Militar;

Implantação do CoopjusNET - sistema de consultas pela internet.

 

2008                

É promovido o concurso para a troca do nome CoopTRT. Vencedor: Coopjus - que propõe a nova área de abrangência da Cooperativa;

A Cooperativa comemora 20 anos e amplia sua sede com a compra de mais uma sala na Av. Augusto de Lima.

 

2009

É aumentado o prazo de aplicação em RDC para até trezentos dias (300 dias);

A Cooperativa adere ao projeto Dia C - Dia de Cooperar promovido pela Ocemg.

 

2010                

Adoção do componente de ouvidoria único e implantação do manual de apoio à ouvidoria;

Adesão ao Fundo Garantidor do Sicoob (FGS), que garante aos cooperados ressarcimento valor de até R$250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais).

 

2011                

Adesão da Cooperativa à marca Sicoob e a definição do padrão de aplicação da mesma;

Alteração do nome da Cooperativa para Sicoob Coopjus.

 

2012                

O jornal "Coopjus Notícias" passou a ser chamado de "Informacoop".

 

2013

Sicoob Coopjus adere as Redes Sociais para aprimorar seu relacionamento com os cooperados;

Criação do "Boletim CooperAtivo" - Informativo mensal online para a divulgação das notícias mais urgentes da Cooperativa;

Migração do módulo de empréstimo para o Sisbr;

Abertura das primeiras contas correntes;

Abertura do primeiro Posto de Atendimento, no TRT da Av. Getúlio Vargas;

Eleição do Conselho Fiscal em módulo 100% eletrônico;

Compra da nova sede da Cooperativa na Av. Getúlio Vargas (Edifício Unique).

 

2014 

Implantação dos primeiros caixas eletrônicos nos prédios do TRT das avenidas Getúlio Vargas, Augusto de Lima e da Rua Goitacazes;

Início da comercialização de cartões de crédito, consórcio, previdência privada e poupança Sicoob;

Migração de 100% das informações para o Sisbr;

Sicoob Coopjus integra as Cooperativas que aderem ao Fundo Garantidor das Cooperativas de Crédito (FGCoop);

A Cooperativa passa atender em um novo espaço na Rua Gonçalves Dias, 89;

Alterada a razão social da Cooperativa para "Cooperativa de Crédito dos Integrantes do Poder Judiciário e das Instituições Jurídicas da União em Minas Gerais Ltda", podendo atender também a CGU;

É ampliado o prazo de suas aplicações de 300 para 365 dias;

A associação no Sicoob Coopjus foi estendida também aos familiares dos cooperados.

 

2015 

Inauguração do Espaço Cooperativo no TRE – Av. Prudente de Morais, 320;

Implantação de caixas eletrônicos nos prédios do TRF e do TRE;

Inauguração do Posto de Atendimento Matriz do Sicoob Coopjus, na Av. Getúlio Vargas, 258.

 

2016 

Implantação de caixa eletrônico no prédio nº 100 do TRE;

Implantação da Primeira votação eletrônica para eleição dos Conselhos de Administração e Fiscal por qualquer dispositivo móvel.

 

2017

Inaguração da Sede Administrativa do Sicoob Coopjus - Av. Getúlio Vargas, 258 - 6° andar.

 

2018

Inauguração do Espaço Cooperativo da Justiça Federal;

Mudança de local do Posto de Atendimento e Unidade Administrativa do Barro Preto - Av. Augusto de Lima, 1126 - 10° andar.

 

2019

Expansão do quadro social - Somos a Cooperativa de Crédito dos Integrantes dos Órgãos e Entidades do Poder Judiciário, das Funções Essenciais à Justiça, do Poder Executivo e do Poder Legislativo, todos da União, bem como da Administração Pública Federal direta, indireta e fundacional localizadas no Estado de Minas Gerais.

 

Prêmios e Reconhecimentos

2004

2º Lugar no II Prêmio Redação Cooperativista do Futuro.

 

2006

1º Lugar no Prêmio Comunicação Cooperativista – Categoria Site.

 

2010

2º Lugar no Prêmio Concred Verde 2010 – Categoria Melhor Cooperativa na Responsabilidade Social e 3º lugar na Categoria na Responsabilidade Ambiental.

 

2012

1º Lugar na Etapa Estadual e o 3º Lugar na Etapa Nacional do Prêmio Cooperativa do Ano 2012 no projeto Cadastro de Doadores Voluntários de Medula Óssea.

 

2016

3º Lugar no Prêmio Concred Verde, categoria Economia Funcional  - Programa de Educação Financeira e Consumo Consciente - Estratégias Desenvolvidas pelo Sicoob Coopjus. 

Saiba Mais Sobre "Cooperativismo"